As regras de ouro para uma vida saudável

As regras de ouro para uma vida saudável

Não há fórmula secreta para viver melhor e por mais tempo, mas há certas coisas que podemos fazer para evitar dois dos principais
Foto: As sete regras de ouro para uma vida saudável
As sete regras de ouro para uma vida saudável
AUTOR
MIGUEL AYUSO
Entre em contato com o autor
@mayusorejas
TAGS
TEMPO DE LEITURA7 min
20/03/2013 06:00 – ATUALIZADO: 18/09/2014 18:38
Não existe uma fórmula secreta para viver melhor e por mais tempo, mas há certas coisas que podemos fazer para evitar duas das principais causas de morte prematura: doenças cardiovasculares e câncer. A American Heart Association (AHA) acaba de lançar uma campanha intitulada Life’s Simple 7, que tentará conscientizar a população americana sobre a importância de seguir sete hábitos simples que podem tornar o risco de câncer ou sofrer uma doença cardiovascular diminuir pela metade.

Leia também: Kifina funciona

A campanha, que a associação estreou ontem com grande fanfarra, não termina em uma página da web bonita: é baseado em um dos estudos mais importantes que têm sido realizados sobre a prevenção de doenças cardiovasculares, a incidência de estilo de vida nestes e sua relação com o câncer. Dr. Laura Rasmussen-Torvik, autor do estudo, que foi publicado anteriormente na revista da associação, Circulation, explicou na apresentação da campanha, pela primeira vez, sabemos com certeza que estes sete hábitos simples Não só ajudam a prevenir doenças cardiovasculares, mas também têm uma importância tremenda na prevenção de todos os tipos de câncer. O médico diz que os sete conselhos ‘podem ajudar os profissionais de saúde a fornecer uma mensagem clara e consistente sobre as coisas específicas que as pessoas podem fazer para cuidar de sua saúde e diminuir o risco geral de doenças crônicas’.

Ações como parar de fumar ou mudar de dieta têm efeitos quase imediatos em nossa saúde.Se seis ou sete dos hábitos forem cumpridos, muitos deles intimamente relacionados, o risco de sofrer câncer ou doenças cardiovasculares é reduzido em 51% aquelas pessoas que não conhecem nenhum dos hábitos. Mesmo que todas as regras não sejam cumpridas, apostar apenas em algumas delas tem efeitos óbvios: cumprir quatro das regras leva a uma redução de risco de 33% e de dois a 21%.

Para Rasmussen-Torvik nunca é tarde demais para mudar nossos hábitos de vida e seguir as sete dicas propostas, porque há um grande corpo de estudos científicos que mostram que ações como parar ou mudar a dieta têm efeitos quase imediatos em nossa saúde.

AS SETE DICAS SIMPLES PARA UMA VIDA SAUDÁVEL

1. Mover

Todo mundo sabe que o exercício é bom para sua saúde, mas há muitas pessoas que não praticam isso. Segundo levantamento da Organização de Consumidores e Usuários (UCO) realizado no ano passado, 24% dos espanhóis não fazem nenhum tipo de atividade física: nem sequer andam uma hora por semana.

De acordo com o relatório da AHA, apenas 30 minutos de exercício moderado (apenas uma simples caminhada), durante cinco dias por semana, reduz significativamente o risco de sofrer de diabetes, ter um ataque cardíaco ou sofrer um derrame. As crianças precisam de mais exercícios, pelo menos uma hora por dia. Segundo a associação americana, o exercício não só afeta um nível físico, mas também reduz o estresse, nos dá mais energia e até muda nosso humor.

2. Controle seu colesterol

Controlar o nível de colesterol é a única maneira de garantir que nossas artérias não bloqueiem, o que pode levar a um ataque cardíaco ou derrame. De acordo com a AHA, devemos começar a nos preocupar se o nível de colesterol for superior a 200 mg / dl. Há pessoas que devem ser especialmente cuidadosas, porque elas têm um gene hereditário que as faz produzir muito colesterol ruim (LDL). Para eles, reduzir o nível é uma questão de vida ou morte.

75% do colesterol no nosso sangue vem do nosso fígado e das nossas próprias células, e os restantes 25% da nossa comida. Manter uma dieta ad hoc – evitando gorduras saturadas e trans e aumentando os alimentos com baixo teor de colesterol – é importante, mas não é suficiente para reduzir o colesterol, também é necessário exercitar e manter um peso saudável.

3. Coma melhor

O Estudo Global da Carga de Doenças, o maior estudo sobre doenças, acidentes e expectativa de vida realizado até o momento, mostrou que a dieta é o fator de risco que causa mais mortes e incapacidades no mundo desenvolvido. A AHA insiste na importância de reduzir em nossa dieta gorduras insalubres, alimentos com muito colesterol, sódio e açúcares adicionados;

Leave a Reply